terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Sopa de pão / Panada

🔺Receita de Panada (sopa)

Ingredientes:

5 pães (50 g) amanhecidos
1 litro de água
2 dentes alho
1 cebola
Caldo de carne
2 ovos
Azeite

Preparo:

Faça um caldo com cebola, alho refogado no óleo coloque 1 lata de d’água, coloque o caldo de carne deixe apurar. 

Pique o pão em pedaços e coloque no caldo e vá cozinhando mexendo, alternadamente até ficar quase como um creme. 
Bata os ovos e coloque na sopa, mexendo e sirva com bastante azeite por cima.

Receita Minestrone com Soja

🔺Receita de Minestrone com soja

Ingredientes:

1 xícara de (chá) de soja
1 xícara de (chá) de brócolis em pedaços pequenos
½ xícaras de (chá) de queijo parmesão ralado
½ xícaras de (chá) de macarrão tipo risoni
3 colheres de (sopa) de azeite de oliva
1 pimentão vermelho médio em cubos
1 pitada de pimenta calabresa
1 abobrinha média em cubos
3 tomates médios picados
1 cenoura média em cubos
1 talo pequeno de salsão
1 cebola média picada
sal a gosto

Preparo:

Escolha a soja, retirando os grãos danificados, lave e deixe de molho por 2 horas em ½ litro de água. Em seguida, escorra a água e coloque a soja em uma panela de pressão. Cubra com água e leve ao fogo por 25 minutos, ou até os grãos ficarem macios. 

Retire, escorra e reserve. Aqueça o azeite em uma panela, junte a cebola, o pimentão e a cenoura e refogue, mexendo de vez em quando, até a cebola ficar macia. Junte a abobrinha, o tomate, o salsão, o macarrão, a pimenta, 1 litro de água e o sal. 

Leve ao fogo por 10 minutos, ou até os legumes ficarem macios. Por último, adicione os brócolis e a soja reservada. Deixe cozinhar por mais 10 minutos, ou até os brócolis ficarem al dente. Sirva com o queijo parmesão.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Macarrão, Massas e Molhos:


🔺Variedades: 

De trigo


Feita de farinha de trigo e água, é a mais barata.

De sêmola

Com trigo nobre (tipo I)

Com ovos

Tem adição de 1 ovo por xícara de farinha.

Grano duro

E feito "al dente"

Integral

Com farinha integral e fibras é mais saudável.

Com vegetais

Com beterraba, espinafre, cenoura, etc.

Formatos: 















Molhos mais adequados:

Espaguete e linguine: 

O ideal são molhos mais líquidos mas cremosos. 
Ex: Pesto, sugo, bolonhesa e bechamel. 

Fusili e penne: 

São massas curtas, com curvas e furos. Combinam bem com os molhos mais cremosos à base de queijo e molhos refogados à base de vegetais.

Ravioli e conchiglione: 

São massas para recheio, boas para gratinar ou servir em sopas. 
Molhos para acompanhar são: Ao sugo, bolonhesa, bechamel e manteiga de ervas.

Talharim: 

Molho carbonara, molho alfredo, ragu e frutos do mar.

Cabelo de anjo: 

Bom para sopas e ensopados mas pode ser feito como o espaguete.

Caneloni: 

Servido recheado, molho bechamel, sugo e gratinado.

Como preparar a massa de maneira:


Usar muita água e acrescentar sal, a ponto dela ficar salgada como a água do mar, sempre seguir o tempo da embalagem, geralmente é de 8 a 12 minutos. 

Da água do cozimento e reserve um pouco para incluir no molho final, isso é importante para a massa não ficar seca ou "grudenta".

Fregula: 

Massa da Sardenha, similar ao cuscuz marroquino, só que de textura mais rústica. É levemente tostada, o que lhe dá aroma de nozes. Muito usada em sopas e cozidos. A receita típica sardenha leva caldo e mariscos.

Fettuccine: 

Tira achatada, de 1 cm de largura. Entre os molhos indicados, estão o de quatro queijos, com frutos do mar ou o famoso Alfredo di Roma (manteiga, creme de leite, parmesão e noz-moscada). Mellão prefere a massa na versão all’uovo (com ovos): “É mais leve e saborosa”.

Farfalle: 

Seu nome deriva de farfalla, que significa borboleta. “É excelente para molhos leves de peixes ou de vegetais”, indica Melão. “Experimente usar o de três cores”, sugere.

Espaguete: 

É a mais popular, responsável por dois terços do consumo de massas no mundo. Longa, fina e cilíndrica, tem vários diâmetros. Mellão indica a de número 7. Sua combinação clássica é com molho de tomate, mas fica perfeita também com molho ao vôngole, entre tantos outros.“É o curinga das massas”, diz o chef.

Fusilli: 

Originalmente, era feita à mão, com o auxílio de um ferro fino, sobre o qual a massa era enrolada. “É a rainha dos ragus e dos molhos pesados, além de ir ao forno”.

Conchiglie: 

Tem forma de concha e ranhuras na superfície. Permite carregar uma grande quantidade de molho. Conchiglioni, o formato maior, é comum no sul da Itália, com ragu. A dica do chef é rechear cada concha (cozida) com uma mistura de mussarela de búfala e manjericão, salpicar com molho de tomate, cobrir com parmesão e levar ao forno.

Penne: 

Uma das mais populares, especialmente na região da Campânia, sul da Itália. Pode conter ranhuras (rigate), que ajudam a reter molhos. De acordo com Mellão, é comum ser servida em receitas com um toque alcoólico, como o penne alla vodka. Outra boa combinação é a de penne com tomate, atum e salsa.

Orecchiette: 

Típica da Puglia. Seu nome vem do formato, que lembra pequenas orelhas. “É uma massa essencialmente de camponeses e, por isso, feita com ingredientes fáceis de encontrar”, ensina o cozinheiro. A dica é servi-la com um clássico molho de folhas de mostarda, linguiça e feijões.

Capellini: 

Também conhecida no Brasil como cabelo de anjo, é uma das mais finas. Na Ligúria, é servida com pesto e, em Veneza, com molho cremoso de aspargos. Já os napolitanos gostam dela com camarões e vegetais. “Experimente com manteiga de trufas brancas. É a massa que melhor absorve e espalha esse molho”, sugere Mellão.

Risoni: 

Massa com formato de arroz, é indicada para caldos à base de legumes ou de carnes. Segundo Mellão, também fica muito boa com manteiga e parmesão.

Casarecce: 

Outra massa típica da Puglia (seu nome quer dizer “caseira”). Semelhante ao strozzapreti (“esgana padre”), que era assim chamado numa referência aos padres, que não paravam de comê-la. Indicada para receber molhos encorpados.



Fettuccine pepe nero ao molho alfredo (Foto: Cacá Bratke)


Saladinha de farfalle (Foto: Rogério Voltan/Casa e Comida)


Espaguete com pesto e presunto de parma (Foto: Ricardo Corrêa/Editora Globo)


Massa com queijo de cabra e abobrinha (Foto: Ricardo Corrêa/Editora Globo)


Penne com cottage, rúcula e amêndoas (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)



Penne com provolone, alho-poró e tomate-cereja (Foto: Iara Venanzi/Editora Globo)


Bavette:

Original de Gênova, a massa Bavette é perfeita para o tradicional pesto genovês.

Bucatini:

Conhecido como furado ou furadinho, essa massa acompanha molhos amanteigados, com queijos, peixes como a sardinha e a anchova e também pancetta.
Espaguete

Para acompanhar essa massa, os molhos devem ser mais líquidos, como o molho de tomate com ervas frescas, o molho à bolonhesa, ao pesto, com frutos do mar, com vegetais ou bechamel.

Linguine

Massa fina e achatada, o linguine acompanha molhos a base de frutos do mar como o vôngole e o molho puttanesca.

Gnocchi

Quando o gnocchi for de massa seca, os molhos perfeitos são o à bolonhesa e ao pesto. Quando a massa é feita de batata, o que a torna bem delicada, os molhos à base de tomate, ragus leves e o bechamel com queijo mais encorpado, como o gorgonzola, são os mais indicados.

* O capeletti e o tortellini, geralmente recheados com carnes cozidas como lombo de porco, presunto e mortadela, são ideais para os caldos, mas podem ser servidos com ragu à bolonhesa e bechamel.

* O caneloni, o raviolli e o rondelli acompanham muito bem molhos à base de manteiga e ervas, bem como o molho de tomate e o bechamel.

Lasanha

O molho para acompanhar a lasanha irá depender muito do tipo de recheio que é utilizado.

Para a lasanha recheada com carnes, presunto e vários tipos de queijos, o melhor é optar por molhos mais suaves como o de tomates ou o bechamel.

Já para recheios mais suaves como à base de legumes e verduras, os molhos mais intensos, como os ragus, são mais apropriados.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Comidas que fazem mal:


🔺Tipos de comida que devem ser evitadas em excesso

1. Atum

Assim como o salmão, o atum é repleto de nutrientes e gorduras saudáveis, incluindo os ácidos graxos ômega-3. 
No entanto, este peixe pode conter uma substância chamada metilmercúrio em quantidades muito maiores do que as encontradas em outros peixes, e o excesso de mercúrio pode causar alguns efeitos colaterais preocupantes.

Normalmente, os atuns maiores, servidos como filés de peixe ou utilizados em sushi, contém mais mercúrio, pois ele se acumula nos tecidos com o passar do tempo. Já os atuns menores têm mais probabilidade de serem enlatados, e a sua concentração de mercúrio pode variar, de acordo com a versão.

2. Atum branco em lata: 

Comumente esse tipo de enlatado é derivado de peixes albacoras. 
O atum branco contém entre 4 e 5 vezes mais mercúrio do que o atum light;

3. Atum light: 

O atum light contém muito menos mercúrio do que o atum branco, tem uma cor mais escura e geralmente não é proveniente de peixes albacoras.

O limite superior de segurança de metilmercúrio para humanos é de 0,1 microgramas por quilograma de peso corporal. Por exemplo, uma criança que pesa 25 kg deve comer uma porção de atum branco enlatado de 75 g a cada 19 días. Mais do que isso excederia o limite superior recomendado e aumenta os riscos de atrasos no desenvolvimento, problemas na visão, audição e fala, falta de coordenação e fraqueza muscular.

As mulheres grávidas também são aconselhadas a limitar a ingestão de peixes contendo muito mercúrio a não mais do que duas vezes por semana, justamente porque essa substância pode provocar danos cerebrais e atrasos no desenvolvimento do bebê.

Sendo assim, procure intercalar o consumo de atum com outros peixes como salmão, cavala, sardinha e truta. Além de oferecer a quantidades importantes de ácidos graxos ômega-3, são menos propensos à contaminação com mercúrio.

4. Carne de fígado

Você sabia que fígado é a carne proveniente de órgãos mais nutritiva de todas? Pois é, ela carrega altas quantidades de minerais como ferro, cobre e também vitaminas como a B12 e A, todos essenciais para a saúde.
Porém, as quantidades desses nutrientes são tão expressivas que apenas uma porção de 100 gramas de fígado bovino entrega seis vezes a ingestão dietética recomendada de vitamina A e 7 vezes de cobre, e por isso está entre os tipos de comida que devem ser evitadas em excesso.

O fato da vitamina A ser armazenada em nossos corpos pode causar toxicidade, trazendo danos para a visão, dor óssea e aumento do risco de fraturas, náuseas e vômitos. O cobre também pode causar toxicidade, e pode aumentar o risco de doença de Alzheimer, porque seu excesso pode provocar estresse oxidativo e alterações neurodegenerativas.

Para receber os benefícios do fígado sem prejudicar a saúde, consuma-o fígado apenas uma vez por semana.

5. Canela

A canela é uma especiaria muito utilizada na culinária de muitos países. 
Além de acrescentar um sabor especial aos alimentos, ela também é utilizada medicinalmente para reduzir os riscos de desenvolver doenças cardíacas, diabetes, câncer, doenças neurodegenerativas e também combater a inflamação e baixar os níveis de açúcar no sangue, devido aos seus poderosos antioxidantes.

Porém, a canela está classificada como um tipo de comida que deve ser evitada em excesso porque ela contém um componente ativo chamado cumarina, que é nocivo para a saúde, quando ingerido em grandes doses.

No entanto, você pode optar por uma versão que contenha menos cumarina. 
Por exemplo, a canela comum, também conhecida como cassia, contém uma quantidade relativamente alta de cumarina, mas a do tipo ceilão, chamada de verdadeira canela, tem concentrações menores, sendo a melhor opção.

Infelizmente, vários estudos descobriram que comer muita cumarina pode causar toxicidade e danos ao fígado. 
Durante um estudo, observou-se que uma mulher de 73 anos de idade desenvolveu uma infecção súbita no fígado após tomar suplementos de canela por apenas uma semana.

Outro estudo realizado com roedores evidenciou que o excesso de cumarina pode causar o desenvolvimento de tumores cancerígenos nos pulmões, fígado e rins. 
Isso acontece porque ela danifica certos órgãos repetidamente, e com o tempo, o dano pode fazer com que células saudáveis ​​sejam substituídas por células tumorais, que podem se tornar cancerígenas.

Ingerir até 0,1 mg por kg de peso corporal de cumarina por dia é o recomendado. Baseando-se na ingestão diária tolerável, não é recomendado consumir mais de 0,5 e 2 gramas de cassia por dia e mais do que 5 gramas de ceilão por dia. É claro que ocasionalmente um consumo superior aos recomendados pode acontecer, mas tenha em mente que essa condição não pode ser frequente.

6. Noz-moscada

Assim como a canela, a noz-moscada é muito utilizada na culinária do mundo todo. Ela é classificada como uma especiaria e frequentemente adicionada a bolos, pudins, molhos e outros pratos.

Pequenas doses de noz-moscada acrescentam sabor sem impactar a saúde. 
No entanto, como ela contém um composto chamado miristicina – que é uma substância psicoativa que afeta o sistema nervoso simpático -, em grandes doses, pode causar intoxicação.

Se você consumir apenas 10 gramas de noz-moscada de uma só vez já pode experimentar sintomas de toxicidade, que envolvem convulsões, arritmia cardíaca, náuseas, tontura, dor e alucinações.

Além dos efeitos de curto prazo da intoxicação, existem riscos muito mais perigosos de consumir muito desse tempero. 
Em alguns casos, a miristicina causou falência de órgãos, e em outros casos, a overdose de noz-moscada foi associada à morte, quando usada em combinação com outras drogas.

7. Castanha-do-Pará

A castanha-do-pará é uma das principais fontes selênio. 
O selênio é um mineral essencial necessário para produzir selenoproteínas, que funcionan como antioxidantes, e desempenha um papel importante na reprodução, na função da tireoide e na produção de DNA.

Assim como outros nutrientes, o selênio pode ser tóxico em grandes quantidades. O sintoma pode incluir: dores de estômago, perda de cabelo, fadiga, alterações de humor, diarreia, cabelos ou unhas quebradiças, dentes descoloridos, problemas no sistema nervoso, gosto metálico na boca e um odor semelhante ao do alho na respiração. 
Se não for tratada, pode evoluir para uma dificuldade respiratória, tremores, insuficiência renal, ataque cardíaco ou insuficiência cardíaca.

Procure então consumir quantidades adequadas de castanha-do-pará. Aproximadamente 50 a 70 microgramas por dia é uma quantidade considerada segura para adultos, e a tolerância é de 300 microgramas. Porém, uma única castanha pode conter até 95 microgramas de selênio, ou seja, mais do que a quantidade diária recomendada para adultos e três vezes a quantidade exigida para as crianças.

Isso significa que comer entre 4 e 5 castanhas pode deixar um adulto no limite da tolerância, então não coma mais do que isso.

8. Espinafre, beterraba e acelga

Alimentos verdes escuros e frondosos são fontes muito relevantes de nutrientes, como a vitamina A e C, ferro e folato. 
Sua composição também contém ácido oxálico, um composto que confere aos vegetais o sabor característico de terra e levemente amargo.

Um dos efeitos colaterais do consumo de grandes quantidades de ácido oxálico é que ele pode se ligar aos minerais no intestino e impedir que o corpo absorva. Por exemplo, o espinafre é rico em cálcio, mas o oxalato (também presente) pode impedir que grande parte do cálcio seja absorvida pelo corpo, e quando esse tipo de alimento é combinado com fibras, pode prejudicar ainda mais a absorção de nutrientes.

Ele também é apontado como causador de pedras nos rins, pois cerca de 80% dos cálculos renais diagnosticados são compostos de oxalato de cálcio; por esse motivo, pessoas que sofrem com essa condição são desaconselhadas a consumir muitos alimentos ricos em oxalato.
Vale reforçar que apesar de serem tipos de comida que devem ser evitadas em excesso, esses alimentos compõem uma dieta saudável, e quando consumidos com moderação contribuem relevantemente com a saúde.

9. Vegetais crucíferos

O brócolis, a couve de Bruxelas e a couve são alguns vegetais classificados como crucíferos. Eles são apontados por ajudar a reduzir o risco de câncer e doenças cardíacas.

Além de seus importantes nutrientes, os vegetais crucíferos contêm tiocianatos, produzidos quando as plantas são cortadas ou mastigadas. O excesso de tiocianatos pode interferir na capacidade do organismo de absorver o iodo, interferindo na função normal da glândula tireóide, o que pode causar hipotireoidismo.

O hipotireoidismo é caracterizado por uma tireóide hipoativa, uma condição que provoca sintomas como: aumento da glândula tireóide, ganho de peso, prisão de ventre, níveis baixos de energia e pele seca.

Como os tiocianatos provenientes de vegetais crucíferos são formados quando os alimentos são quebrados, evitar incluí-los frequentemente em bebidas como os sucos verdes, que precisam ser batidas, pode evitar uma ingestão elevada desses compostos.

10. Batatas verdes

Quando as batatas são expostas à luz, elas começam a produzir clorofila, mas esse processo também pode estimular a produção de certos compostos que a protegem de danos causados ​​por insetos, bactérias, fungos ou animais famintos.

Se a batata está verde e já começou a brotar, jogue fora. As batatas verdes contêm solanina, um pesticida natural que é tóxico para os seres humanos quando consumido em grandes quantidades.

A solanina costuma inibir uma enzima envolvida na quebra de certos neurotransmissores. Ela também pode danificar as membranas celulares e afetar negativamente a permeabilidade do intestino.

Os sintomas de envenenamento por solanina são: náuseas, vômitos, diarreia, sudorese, dores de cabeça e dores de estômago, e quando leves, eles desaparecem em aproximadamente 24 horas.

É difícil dizer exatamente quanto de solanina causa esses efeitos colaterais, mas parece que a ingestão de 2 mg por quilo de peso corporal já é o suficiente.

11. Café

O café é uma das bebidas que contêm cafeína. Embora a sua composição seja reconhecida por trazer benefícios relevantes para a saúde, como reduzir doenças do fígado, diabetes tipo 2 e doenças neurodegenerativas, altas doses de cafeína podem ter efeitos colaterais desagradáveis ​​e até perigosos. Por isso, o café encontra-se entre os tipos de comida que devem ser evitadas em excesso.

Embora a sensibilidade de cada pessoa à cafeína seja diferente, consumir em média 400 mg é geralmente considerado seguro. Mais de 500 a 600 mg por dia já pode ser excessivo e afetar o sistema nervoso, digestivo, pressão e outros.

A cafeína é conhecida por aumentar o estado de alerta. Isso acontece porque ela bloqueia os efeitos da adenosina, um químico cerebral que faz com que você se sinta cansado. Porém, as doses mais altas podem provocar ansiedade e nervosismo. Ela também pode afetar o sono e trazer problemas de concentração, foco e abrir espaço para o surgimento de doenças.

Outro impacto relevante da cafeína é sua capacidade de estimular os movimentos intestinais, aumentando o peristaltismo, as contrações que movimentam a comida através do trato digestivo. Então, não é de surpreender que grandes doses de cafeína possam causar diarreia em algumas pessoas.

Pessoas que sofrem com pressão alta também precisam se atentar ao consumo excessivo da cafeína, pois foi demonstrado que ela eleva a pressão arterial devido ao seu efeito estimulatório sobre o sistema nervoso, uma condição que aumenta os riscos de ataques cardíacos e derrames, pois pode danificar as artérias ao longo do tempo, restringindo o fluxo de sangue para o coração e o cérebro. Pode também aumentar os batimentos cardíacos (fibrilação atrial), uma condição comum em pessoas que consomem bebidas energéticas contendo doses extremamente altas de cafeína.

Além disso, pode causar fadiga depois que a cafeína deixa o organismo e desidratação, pois ela é um diurético.

Considerando esses fatos, a melhor alternativa é não exagerar no consumo de café e outras bebidas que contêm cafeína.

12. Feijão vermelho

O feijão vermelho é um dos alimentos que contêm muitas vitaminas e minerais vitais, como ferro, potássio, folato e vitamina K1. 
Mas, quando está cru, contém altos níveis de uma lectina chamada fitohemaglutinina.

As lectinas são uma espécie de defesa natural nas plantas para impedir que os animais as comam. Ela é um tipo de proteína que pode se ligar ao açúcar e reduz a capacidade do organismo de absorver nutrientes.

Quando ingeridas, elas não são digeridas e conseguem seguir inalteradas para o intestino, e quando estão presentes em quantidades excessivas, podem danificar a parede do intestino e causar irritação. Apenas cinco feijões crus ou mal cozidos já podem causar um efeito colateral, provocando náuseas, vômitos e diarreia.

Uma unidade hemagglutinate (hau) é uma medida do conteúdo de lectina. Em sua forma bruta, o feijão vermelho contém entre 20.000 e 70.000 hau. Quando ele está completamente cozido, esse número cai para 200-400 hau, um nível considerado seguro.

Isso significa que você não deve evitar esse alimento e sim garantir que seu consumo só seja feito após ele estar devidamente cozido. Assim, você evitará a lectina e poderá receber muitos nutrientes que contribuem com a saúde.

Dieta crua:

web/Mundo boa forma

Dieta Crua 

Não precisar esquentar, cozinhar, assar, grelhar ou refogar os alimentos que prepara para consumir em suas refeições ou longo do dia? Pois bem, essa é justamente a proposta da dieta crua.

A dieta crua consiste basicamente no consumo de vegetais, frutas e grãos crus. 

Os processos de preparação culinários no fogão e forno são rejeitados baseados na ideia de que esquentar os alimentos destrói os nutrientes e as enzimas naturalmente encontradas nas comidas. Alguns defensores do programa alimentar inclusive alegam que cozinhar torna os alimentos tóxicos.

Entre as promessas da dieta crua estão: 
Combate a dores de cabeça 
Combate alergias
Estímulo à memória 
Estimula o sistema imunológico
Prevenção e tratamento de prisão de ventre
Aumento de energia
Manutenção de um peso saudável 
Melhoria da saúde do coração
Melhoria da artrite 
Melhoria da diabetes.

Na dieta crua, os alimentos podem ser preparados com:
Liquidificadores
Processadores de alimentos 
Desidratadores

Os pratos podem ser servidos frios e até um pouco mornos, porém, não devem passar disso.

Preparar dos alimentos

Amornação

Os alimentos vão para uma panela de barro, que foi aquecida no fogão ou com uma resistência elétrica. As mãos são utilizadas para monitorar a temperatura das comidas enquanto o processo é realizado.

Desidratação

Já a desidratação dos alimentos pode ser feita com o auxílio do sol. São colocadas quantidades menores em um pote ou refratário que é exposto ao sol. Existem ainda as caixas desidratadoras que fazem o trabalho para quantias grandes de comida.

Alguns exemplos de alimentos que podem ser desidratados desse modo são: batatas, frutas, legumes, hortaliças, barra de cereais germinados, pães, bolos, tortas e biscoitos.

Germinação e brotação

São outras duas técnicas importantes na alimentação viva. Elas consistem em hidratar a semente e esperar que ela germine ou brote, de acordo com suas características naturais. O objetivo é tornar os alimentos vivos, ou seja, biogênicos.

Fermentação

A fermentação acontece nos vegetais ao adicionar microrganismos ou utilizar os que já se encontram neles para consumirem os açúcares ali presentes e formar fermentos e gases. Isso agrega em relação à digestibilidade e ao valor nutricional.

Tal processo é realizado com um frasco de vidro transparente de boca larga, previamente higienizado. Os vegetais são picados, fatiados, ralados ou prensados dentro do recipiente, que é fechado na pressão. Ele deve ficar assim durante 24 a 48h e então ser consumido.

As classificações dos seguidores da dieta crua


Os adeptos do programa alimentar estão divididos em quatro grupos:

Vegetarianos: a maior parte dos alimentos é consumida crua e as únicas comidas de fonte animal são os ovos e os produtos laticínios;

Veganos: a maioria dos alimentos são ingeridos crus e não há a presença de nenhum tipo de produto de origem animal no cardápio;

Onívoros: tanto os alimentos de origem vegetal quanto os de origem animal são consumidos, em sua maioria, crus;

A lista a seguir apresenta alguns dos alimentos permitidos pelo cardápio da dieta crua:

Feijões;

Frutas secas;
Grãos;
Sucos frescos de frutas e vegetais;
Frutas e vegetais frescos;
Grãos;
Legumes;
Leite de coco fresco;
Nozes;
Água (não pode ser da torneira);
Algas marinhas;
Sementes.

Agora, vamos conhecer um modelo de cardápio para a dieta crua. Entretanto, é importante saber que ele engloba somente 1.200 calorias por dia. 
Assim, antes de adotá-lo, cheque com seu nutricionista se ele é indicado para o seu caso e verifique se não trará problemas para a sua saúde.

Café da manhã:

1 copo de suco de 2 laranjas batido com 1 banana, ½ maçã e 1 folha grande de couve 
OU; 1 banana acompanhada de 1 colher de sopa de aveia e 1 colher de sopa de quinoa real 
OU; Suco de uma maçã batido com 2 fatias de abacaxi, 1 colher de sopa de aveia, 1 lasca de gengibre e 100 ml de água 
OU; 1 copo de leite de soja batido com 1 fruta de sua preferência e 1 colher de sopa de linhaça.

Almoço:

1 prato de sobremesa de salada de alface, cenoura e beterraba raladas, 1 xícara de chá de abobrinha, ½ xícara de chá de berinjela, porção de sashimi e 1 pera 
OU; 1 prato de sobremesa de tomate com pepino, 1 xícara de chá de brócolis, 1 porção grande de sashimi e ¼ de manga.

Lanches:

1 xícara de chá de frutas secas misturadas com frutas frescas 
OU; 1 taça de abacate batido com limão OU;
¼ de manga com quinoa real 
OU; 1 tigela de salada de frutas com granola 
OU; 1 copo de leite de soja batido com 1 fruta e 1 colher de sopa de aveia.

Jantar:

1 prato raso de salada de rúcula com tomate, sashimi, 4 nozes e ¼ de manga OU;

1 prato raso de escarola com tomate, 5 castanhas de caju, sashimi e ¼ de abacate.

Cuidados

Antes de adotar a dieta crua ou qualquer tipo de programa alimentar, consulte primeiramente um nutricionista para saber se ele é mesmo apropriado para o seu caso e verificar se ao segui-lo, você será capaz de fornecer ao seu organismo os nutrientes que ele necessita para funcionar corretamente.

Isso é especialmente importante ao levarmos em consideração o fato que a dieta crua limita a quantidade e diversidade de alimentos que podem ser consumidos nas refeições.

Outra preocupação que deve ser levada em consideração é em relação à higienização dos alimentos, já que comidas não cozidas e não pasteurizadas estão associadas ao aparecimento de certas doenças. Entre os itens que merecem maior cuidado estão: brotos, framboesa, sucos não pasteurizados, alface, ovos e carnes.

O ovo cru pode causar salmonelose, uma doença provocada pela salmonela, que causa diarreia, febre muito forte e vômitos e pode matar crianças, idosos e pessoas imunodeprimidas. 
Comer carne crua também é perigoso porque nesse estado o alimento fornece excelentes condições para o desenvolvimento de microrganismos que podem causar problemas como diarreia grave com sangue, náusea, dor abdominal, perda de movimentos e de audição, paralisia e até o óbito.

A dieta crua não pode ser seguida por mulheres gestantes, crianças, idosos, pessoas com o sistema imunológico enfraquecido e que possuem doenças crônicas como doenças renais.
Outras críticas ao modelo de alimentação crua

Acredita-se que seguir o modelo de alimentação crua por muito tempo pode causar deficiência de vitamina B12, que é encontrada principalmente em alimentos de origem animal. 
A ausência do nutriente no organismo pode trazer problemas como: fadiga, dificuldade para respirar, diarreia, nervosismo, dormência, dificuldade para andar, incontinência urinária e lesões no sistema nervoso.

Ao seguir uma alimentação como esta, também é preciso tomar cuidado para garantir a ingestão de cálcio e do ácido graxo ômega 3.

Outra crítica é que mesmo ao cozinhar os alimentos é possível manter as suas vantagens nutricionais. 

Para isso, vale seguir táticas como: cozinhar no vapor, não fatiar muito, cozinhar com a casca, não cozinhar por muito tempo, utilizar pouca água, preparar tudo no fogo alto, não armazenar os alimentos por muito tempo na geladeira e reutilizar a água usada no cozimento para preparar outro alimento, pois essa água pode reter nutrientes, que em vez de serem perdidos, serão reaproveitados em outro prato.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Pão de Queijo Bolota:/:


🔺A receita rende 65 unidades de 40 g cada

Ingredientes


1 xícara (chá) de óleo (240 ml)
1 xícara (chá) de água (240 ml)
1 xícara (chá) de leite (240 ml)
2 colheres (sopa) de sal
1 kg de polvilho doce ou meio a meio com polvilho azedo
3 a 4 ovos
300 g de queijo minas padrão ralado no ralo fino (3 xícaras de chá)
100 g de parmesão ralado no ralo fino

Preparo

Leve o óleo com a água, o leite e o sal ao fogo médio até ferver e despeje sobre o polvilho, misturando para escaldar completamente. Deixe amornar.

Adicione os ovos (reserve 1 caso precise dar liga) e misture. Junte os queijos e misture até incorporar e dar liga (ponto de enrolar).

Modele bolinhas com pequenas porções da massa e disponha em assadeira, mantendo espaço de uma para outra. (Neste ponto, você pode congelar e depois guardar em saquinhos.)

Leve ao forno médio preaquecido (200 °C) por cerca de 30 minutos ou até dourarem.

* Para uma casquinha mais macia, use metade do polvilho doce com a mesma quantidade de polvilho azedo.

Rosbife ao Limão e Azeite:





origem / Por Ana Maria Braga


Ingredientes


2 bifes de coxão duro sem gordura (300 g cada um)
2 colheres (sopa) de folhas de tomilho
4 dentes de alho laminados
¾ de xícara (chá) de azeite de oliva
Raspas de 1 limão
¾ de xícara (chá) de suco de limão
1 colher (chá) de sal
Pimenta-do-reino
2 colheres (sopa) de azeite de oliva

Preparo

Em um refratário misture o tomilho com o alho, o azeite, as raspas e o suco de limão, o sal e pimenta-do-reino a gosto. Reserve.

Em uma frigideira grande sobre fogo alto com azeite, doure os bifes de coxão duro por três minutos de cada lado.

Transfira os bifes para o refratário com a marinada, cubra com filme plástico e leve à geladeira por 30 minutos a 5 dias.
Na hora de servir, corte fatias bem finas e acompanhe com pão ou torrada.

Receita Galinhada com Arroz

Foto de arroz com frango desfiado

🔺Galinhada com Arroz

 Ingredientes

1 galinha pequena, cortada em pedaços pequenos (1 kg)
2 sachês de Tempero SAZÓN® Verde
1 colher (sopa) sal
2 colheres (sopa) de óleo
1 cebola média cortada em rodelas
meio pimentão verde, sem sementes, picado
3 tomates grandes, sem pele e sem sementes, picados (480 g)
1 e meia xícara (chá) de arroz (250 g)
2 e meia xícaras (chá) de água (500 ml)

Preparo:

Tempere a galinha com 1 sachê de Tempero SAZÓN® Frango e meia colher (sopa) de sal, e deixe tomar gosto por 1 hora. Em uma panela grande, aqueça o óleo em fogo alto e frite o frango por cerca de 15 minutos, ou até que doure ligeiramente. 

Junte a cebola e refogue por mais 2 minutos. Acrescente o pimentão e os tomates, e refogue por 1 minuto. Adicione o arroz, o Tempero SAZÓN® e o sal restantes, e misture bem. 

Acrescente a água e deixe cozinhar em fogo baixo, com a panela semitampada, por 15 minutos, ou até que o arroz fique macio. Transfira para um refratário fundo e sirva em seguida.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Bolo Queijadinha Cremoso:



Bolo queijadinha cremoso feito na forma de pudim
Ingredientes do bolo queijadinha cremoso

Para a calda

1 xícara (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de água

Para o bolo

2 xícaras (chá) de leite
7 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 lata de leite condensado
2 colheres (sopa) de açúcar
100 g de queijo parmesão ralado
100 g de coco ralado úmido e adoçado
4 ovos

Preparo:

Em uma panela, coloque o água junto com o açúcar. Deixe cozinhar em fogo baixo até caramelizar. Coloque a calda em uma forma de furo central e reserve.

No liquidificador, coloque todos os ingredientes da massa e bata bem até obter uma mistura homogênea. Transfira o conteúdo do liquidificador para a forma caramelizada.

Leve para assar em forno pre aquecido a 180º C por aproximadamente 40 minutos ou até dourar. Diferente do pudim, não precisa assar em banho-maria!
Assim que retirar do forno, leve para a geladeira por 4 horas.

Desenforme em seguida e sirva. Se quiser dar um toque extra, salpique coco ralado depois que estiver desinformado.

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Receita de Cartola

🔺Cartola



Ingredientes

Margarina
Açúcar
Canela
8 bananas prata
8 fatias de queijo de coalho

Preparo

Primeiro corte as bananas, em 2 ou três parte, no sentido do comprimento. Reserve.
Coloque uma frigideira no fogo baixo e deixar esquentar bastante.
Adicione uma colher de margarina.

Distribua as fatias da banana e deixar dourar dos dois lados.
Retire do fogo e coloque em um prato de sobremesa.
Unte a frigideira e doure as fatias de queijo.

Coloque por cima da banana.
polvilhar com açúcar e canela.
Repetir o mesmo processo até terminar os ingredientes.

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Receita Estrogonofe / Strogonoff

🔺Strogonoff



Ingredientes

1/2 xícara de catchup
1 lata de creme de leite
1/2 xícara de vinho
1 colher (sobremesa) de mostarda
1 lata de milho
1 frango guisado e desfiado
1 colher (sobremesa) de molho inglês
Noz moscada a gosto

Preparo

Primeiro, cozinhe o frango com água, sal e tempero a gosto, espere esfriar e desfie. Reserve No molho que se formou na panela acrescente o catchup e o vinho. Deixe ferver ligeiramente, mexendo sempre.

Junte a mostarda, o molho inglês, a noz moscada, o frango e o creme de leite.
Misture e retire do fogo.
Sirva com arroz e batata palha.

🔺Lasanha ao Molho Pesto



Ingredientes

1 litro de molho bechamel
Queijo parmesão ralado a gosto
Pimenta do reino a gosto
500 g de massa para lasanha pré-cozida
200 g de molho pesto

Preparo

Primeiro faça o molho pesto e o bechamel.
Em seguida, junte os dois molhos.
Unte uma forma refratária e coloque no fundo um pouco do molho bechamel com pesto.

Disponha uma camada de massa de lasanha, deixando um espaço entre elas.
Cubra com o molho e o queijo parmesão.
Repita as camadas e termine com o molho e o parmesão ralado e a pimenta.

Cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido, por 30 minutos.
Retire o papel e deixe no forno para dourar.
Deixe descansar fora do forno por 10 minutos antes de servir.

🔺Escondidinho de Charque



Ingredientes

250 g de charque desfiada
100 g de manteiga sem sal
Parmesão ralado
300 g de creme de macaxeira
100 g de queijo de coalho picado
1 cebola grande
300 g de creme de leite

Preparo

Corte a charque, em cubos e desalgue.
Em seguida, desfie e reserve.
Em uma panela, coloque para cozinhar a macaxeira com água e sal, sem deixar muito mole.

Assim que cozidas, espere esfriar um pouco, retire o fio central e passe no processador.
Coloque a macaxeira, a manteiga e o creme de leite, em uma panela e leve ao fogo, mexendo, deixe ferver por 5 minutos.

Corte a cebola em rodelas, frite na metade da manteiga, junte o charque e refogue.
Coloque em refratário uma camada da macaxeira, outra de charque e cubra com a macaxeira restante.

Polvilhe parmesão ralado e por cima o queijo de coalho picado.
Leve ao forno quente, para gratinar.

🔺Cartola



Ingredientes

Margarina
Açúcar
Canela
8 bananas prata
8 fatias de queijo de coalho

Preparo

Primeiro corte as bananas, em 2 ou três parte, no sentido do comprimento. Reserve.
Coloque uma frigideira no fogo baixo e deixar esquentar bastante.
Adicione uma colher de margarina.

Distribua as fatias da banana e deixar dourar dos dois lados.
Retire do fogo e coloque em um prato de sobremesa.
Unte a frigideira e doure as fatias de queijo.

Coloque por cima da banana.
polvilhar com açúcar e canela.
Repetir o mesmo processo até terminar os ingredientes.

Evinline.com

Receita Asinhas com Couve



Ingredientes

500 g de asas de frango
5 folhas de couve
5 batatas
óleo
1 pcte. de sopa de cebola
1 tablete de tempero pronto para aves
2 copos de água

Preparo:


Descasque as batatas. Coloque o frango na panela com o óleo e a cebola. Mexa até que doure a carne. Coloque na panela de pressão um pouco de óleo e a cebola picada.

Coloque as batatas na panela, dois saquinhos do tempero de aves e dois copos de água. Feche a panela e deixe na pressão por 5 minutos.

Abra a panela com cuidado e acrescente as folhas de couves cortadas em fatias.
Mexa e feche a panela. Deixe por mais 5 minutos.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Nick Giorgi.

Receita de Pucherada

🔺Pucherada



Ingredientes

3 cebolas cortadas
Cheiro-verde à gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
5 kg de pucherada do pescoço
3 kg de músculos das canelas do boi
1 kg de cenoura
1 kg de batatinha

Preparo


Em uma panela, coloque para cozinhar a pucherada do pescoço, músculos das canelas, cebolas, cheiro-verde, pimenta-do-reino e sal com oito litros de água por três horas.

Depois acrescente as cenouras e batatinhas.
Servir o caldo em copos.

Pudim de Jenipapo

🔺Pudim de Jenipapo



Ingredientes

01 xícara (chá) de açúcar
03 ovos
01 lata de leite condensado
01 vez a mesma medida de polpa de jenipapo

Preparo


Caramelize uma forma para pudim com o açúcar e reserve.
No liquidificador, adicione o leite condensado, a polpa de jenipapo, uma vez a medida de água, os ovos e bata bem.

Coloque a mistura do liquidificador na forma caramelizada e asse em banho-maria, em forno médio, por 1 hora e 30 minutos.
Deixe esfriar e leve à geladeira.
Desenforme depois de gelado.

🔺Pucherada



Ingredientes

3 cebolas cortadas
Cheiro-verde à gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
5 kg de pucherada do pescoço
3 kg de músculos das canelas do boi
1 kg de cenoura
1 kg de batatinha

Preparo


Em uma panela, coloque para cozinhar a pucherada do pescoço, músculos das canelas, cebolas, cheiro-verde, pimenta-do-reino e sal com oito litros de água por três horas.
Depois acrescente as cenouras e batatinhas.
Servir o caldo em copos.

Sopa de Peixe à Albuquerque

🔺Sopa de Peixe à Albuquerque



Ingredientes

1 colher (chá) de erva-doce picada
2 cenouras
1 cebola
500 g de batata
1 kg de peixe (filé de pintado)
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1 lata de creme de leite ou nata fresca
50 g de margarina ou manteiga
250 ml de leite
2 litros de água
2 copos de vinho branco
1 maço de cheiro-verde
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Preparo

Coloque em uma panela, a água, vinho branco, cenouras em rodelas, cheiro-verde, sal e pimenta e prepare o caldo.
Leve ao fogo e deixe que ferva durante 10 minutos mais ou menos, para que tome gosto e apure um pouco.

Em seguida, acrescente as batatas descascadas e cozinhe durante 15 minutos.
Junte o peixe limpo, cortado em pedaços e cozinhe por mais 15 minutos.
Prepare o bechamel, dourando a farinha na manteiga, adicionando o leite e mexendo sem parar até cozinhar e engrossar.

Acrescente o creme de leite ou a nata fresca, tempere com sal, pimenta, mexa para misturar bem e cozinhe por 2 minutos no fogo brando.

No momento de servir, retire as batatas e os peixes do caldo e arrume-os numa travessa, cercando com torradinhas com manteiga

🔺Pudim de Jenipapo



Ingredientes

01 xícara (chá) de açúcar
03 ovos
01 lata de leite condensado
01 vez a mesma medida de polpa de jenipapo

Preparo


Caramelize uma forma para pudim com o açúcar e reserve.
No liquidificador, adicione o leite condensado, a polpa de jenipapo, uma vez a medida de água, os ovos e bata bem.

Coloque a mistura do liquidificador na forma caramelizada e asse em banho-maria, em forno médio, por 1 hora e 30 minutos.
Deixe esfriar e leve à geladeira.
Desenforme depois de gelado.

🔺Pucherada



Ingredientes

3 cebolas cortadas
Cheiro-verde à gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
5 kg de pucherada do pescoço
3 kg de músculos das canelas do boi
1 kg de cenoura
1 kg de batatinha

Preparo


Em uma panela, coloque para cozinhar a pucherada do pescoço, músculos das canelas, cebolas, cheiro-verde, pimenta-do-reino e sal com oito litros de água por três horas.
Depois acrescente as cenouras e batatinhas.
Servir o caldo em copos.

Pacu com Leite de Coco

🔺Pacu com Leite de Coco



Ingredientes

3 pacus pequenos
Suco de dois limões
3 dentes de alho amassados
1 maço de cheiro-verde
3 cebolas raladas
3 tomates maduros, sem pele
½ xícara de chá de azeite de oliva
500 g de farinha de mandioca
1 vidro de leite de coco
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Preparo

Primeiro, limpe os pacus e corte em postas finas.
Tempere com sal, pimenta-do-reino, suco de limão, e o alho. Reserve por 30 minutos.
Reserve a vinha-d’alhos e coloque um pouco de água fervente e o cheiro-verde. Deixe cozinhar.

Transfira para uma vasilha refratária.
Refogue a cebola, o tomate e a vinha d’alhos na metade do azeite de oliva.

Junte a farinha de mandioca e o leite de coco, mexendo com uma colher de pau até obter um pirão.
Espalhe este pirão sobre o peixe e regue com o azeite de oliva restante.

🔺Sopa de Peixe à Albuquerque



Ingredientes


1 colher (chá) de erva-doce picada
2 cenouras
1 cebola
500 g de batata
1 kg de peixe (filé de pintado)
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1 lata de creme de leite ou nata fresca
50 g de margarina ou manteiga
250 ml de leite
2 litros de água
2 copos de vinho branco
1 maço de cheiro-verde
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Preparo

Coloque em uma panela, a água, vinho branco, cenouras em rodelas, cheiro-verde, sal e pimenta e prepare o caldo.
Leve ao fogo e deixe que ferva durante 10 minutos mais ou menos, para que tome gosto e apure um pouco.

Em seguida, acrescente as batatas descascadas e cozinhe durante 15 minutos.
Junte o peixe limpo, cortado em pedaços e cozinhe por mais 15 minutos.
Prepare o bechamel, dourando a farinha na manteiga, adicionando o leite e mexendo sem parar até cozinhar e engrossar.

Acrescente o creme de leite ou a nata fresca, tempere com sal, pimenta, mexa para misturar bem e cozinhe por 2 minutos no fogo brando.

No momento de servir, retire as batatas e os peixes do caldo e arrume-os numa travessa, cercando com torradinhas com manteiga

🔺Pudim de Jenipapo



Ingredientes

01 xícara (chá) de açúcar
03 ovos
01 lata de leite condensado
01 vez a mesma medida de polpa de jenipapo

Preparo


Caramelize uma forma para pudim com o açúcar e reserve.
No liquidificador, adicione o leite condensado, a polpa de jenipapo, uma vez a medida de água, os ovos e bata bem.

Coloque a mistura do liquidificador na forma caramelizada e asse em banho-maria, em forno médio, por 1 hora e 30 minutos.
Deixe esfriar e leve à geladeira.
Desenforme depois de gelado.

🔺Pucherada



Ingredientes

3 cebolas cortadas
Cheiro-verde à gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
5 kg de pucherada do pescoço
3 kg de músculos das canelas do boi
1 kg de cenoura
1 kg de batatinha

Preparo


Em uma panela, coloque para cozinhar a pucherada do pescoço, músculos das canelas, cebolas, cheiro-verde, pimenta-do-reino e sal com oito litros de água por três horas.
Depois acrescente as cenouras e batatinhas.
Servir o caldo em copos.

Carne Moída com Pequi

🔺Carne Moída com Pequi



Ingredientes

500 g de carne moída
2 dúzias de pequi
2 Cebolas picadas
pimenta do reino a gosto
sal a gosto
4 dentes de alho amassado

Preparo

Em uma panela junte todos os temperos e leve ao fogo.
Deixe refogar a carne com os temperos e o pequi por 20 minutos, mexendo sempre.

Acrescentar três copos de água. Deixar ferver até cozinhar os pequis.
Servir com arroz branco.

🔺Pacu com Leite de Coco



Ingredientes

3 pacus pequenos
Suco de dois limões
3 dentes de alho amassados
1 maço de cheiro-verde
3 cebolas raladas
3 tomates maduros, sem pele
½ xícara de chá de azeite de oliva
500 g de farinha de mandioca
1 vidro de leite de coco
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Preparo

Primeiro, limpe os pacus e corte em postas finas.
Tempere com sal, pimenta-do-reino, suco de limão, e o alho. Reserve por 30 minutos.
Reserve a vinha-d’alhos e coloque um pouco de água fervente e o cheiro-verde. Deixe cozinhar.

Transfira para uma vasilha refratária.
Refogue a cebola, o tomate e a vinha d’alhos na metade do azeite de oliva.

Junte a farinha de mandioca e o leite de coco, mexendo com uma colher de pau até obter um pirão.
Espalhe este pirão sobre o peixe e regue com o azeite de oliva restante.

🔺Sopa de Peixe à Albuquerque



Ingredientes


1 colher (chá) de erva-doce picada
2 cenouras
1 cebola
500 g de batata
1 kg de peixe (filé de pintado)
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1 lata de creme de leite ou nata fresca
50 g de margarina ou manteiga
250 ml de leite
2 litros de água
2 copos de vinho branco
1 maço de cheiro-verde
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto

Preparo

Coloque em uma panela, a água, vinho branco, cenouras em rodelas, cheiro-verde, sal e pimenta e prepare o caldo.
Leve ao fogo e deixe que ferva durante 10 minutos mais ou menos, para que tome gosto e apure um pouco.

Em seguida, acrescente as batatas descascadas e cozinhe durante 15 minutos.
Junte o peixe limpo, cortado em pedaços e cozinhe por mais 15 minutos.
Prepare o bechamel, dourando a farinha na manteiga, adicionando o leite e mexendo sem parar até cozinhar e engrossar.

Acrescente o creme de leite ou a nata fresca, tempere com sal, pimenta, mexa para misturar bem e cozinhe por 2 minutos no fogo brando.

No momento de servir, retire as batatas e os peixes do caldo e arrume-os numa travessa, cercando com torradinhas com manteiga

🔺Pudim de Jenipapo



Ingredientes

01 xícara (chá) de açúcar
03 ovos
01 lata de leite condensado
01 vez a mesma medida de polpa de jenipapo

Preparo


Caramelize uma forma para pudim com o açúcar e reserve.
No liquidificador, adicione o leite condensado, a polpa de jenipapo, uma vez a medida de água, os ovos e bata bem.

Coloque a mistura do liquidificador na forma caramelizada e asse em banho-maria, em forno médio, por 1 hora e 30 minutos.
Deixe esfriar e leve à geladeira.
Desenforme depois de gelado.

🔺Pucherada



Ingredientes

3 cebolas cortadas
Cheiro-verde à gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
5 kg de pucherada do pescoço
3 kg de músculos das canelas do boi
1 kg de cenoura
1 kg de batatinha

Preparo


Em uma panela, coloque para cozinhar a pucherada do pescoço, músculos das canelas, cebolas, cheiro-verde, pimenta-do-reino e sal com oito litros de água por três horas.
Depois acrescente as cenouras e batatinhas.
Servir o caldo em copos.

Escondidinho de Carne

🔺Escondidinho de Charque



Ingredientes

250 g de charque desfiada
100 g de manteiga sem sal
Parmesão ralado
300 g de creme de macaxeira
100 g de queijo de coalho picado
1 cebola grande
300 g de creme de leite

Preparo

Corte a charque, em cubos e desalgue.
Em seguida, desfie e reserve.
Em uma panela, coloque para cozinhar a macaxeira com água e sal, sem deixar muito mole.

Assim que cozidas, espere esfriar um pouco, retire o fio central e passe no processador.
Coloque a macaxeira, a manteiga e o creme de leite, em uma panela e leve ao fogo, mexendo, deixe ferver por 5 minutos.

Corte a cebola em rodelas, frite na metade da manteiga, junte o charque e refogue.
Coloque em refratário uma camada da macaxeira, outra de charque e cubra com a macaxeira restante.

Polvilhe parmesão ralado e por cima o queijo de coalho picado.
Leve ao forno quente, para gratinar.

🔺Cartola



Ingredientes

Margarina
Açúcar
Canela
8 bananas prata
8 fatias de queijo de coalho

Preparo

Primeiro corte as bananas, em 2 ou três parte, no sentido do comprimento. Reserve.
Coloque uma frigideira no fogo baixo e deixar esquentar bastante.
Adicione uma colher de margarina.

Distribua as fatias da banana e deixar dourar dos dois lados.
Retire do fogo e coloque em um prato de sobremesa.
Unte a frigideira e doure as fatias de queijo.

Coloque por cima da banana.
polvilhar com açúcar e canela.
Repetir o mesmo processo até terminar os ingredientes.